Em busca dos tesouros escondidos de Deus 4


0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Por Fabio Marchiori Machado

1. INTRODUÇÃO

Uma das melhores brincadeiras da minha infância era a de caçar tesouros. Muito inspirado pelos filmes do Indiana Jones, fazíamos da caça aos tesouros uma diversão que levava horas. Tínhamos de tudo. O tesouro a ser encontrado, as estratégias e, lógico, um mapa.

O tempo passou e eu já havia me esquecido deste tempo muito bom da minha infância. Isto até recentemente. Alguns tempos atrás tive contato com algumas heresias que rondam o meio cristão, e estas fizeram eu relembrar de algumas destas brincadeiras do passado.

Entre tantas heresias, uma me chamou a atenção em particular. Ela tinha haver com o texto de Isaías 45.3 que diz assim:

3 dar-te-ei os tesouros escondidos e as riquezas encobertas, para que saibas que eu sou o Senhor, o Deus de Israel, que te chama pelo teu nome.”

Segundo uma mente iluminada e criativa, este versículo fala de uma promessa, da parte de Deus, para TODOS os crentes. E vai além! Diz que Deus abre as portas destes tesouros para pessoas de muita fé (aqui creio que ele quis dizer grandes dizimistas). É mais ou menos assim: O Bill Gates recebeu a chave de um grande tesouro dado por Deus. O nome desta chave é “sistema operacional Windows” (isto é apenas uma ilustração, não estão falando que o Bill Gates é um homem de fé.). Explicitando, por causa da sua fé Deus pode lhe conceder uma idéia, um produto ou um talento que fará você ganhar muito, mas muito dinheiro. Legal, né? Seria, se isto não fosse uma tremenda de uma Heresia, com direito a um “H” maiúsculo e destaque na escrita.

Heresia não é algo que só acontece recentemente. Não é um “privilégio” do nosso tempo. Na época dos apóstolos, as heresias já representavam um desafio e um trabalho árduo para aqueles que seguiam uma verdadeira e saudável doutrina cristã. Recomendo que você leia a epístola de Judas e as três de João (1, 2, 3 João).

Mas afinal, voltando ao assunto do tesouro, se este texto está na Bíblia, e ele não quer dizer nada do que descrevemos acima, o que são de fato estes tesouros escondidos de Deus? É a questão que vamos discutir nesta lição.

2. CONTEXTO HISTÓRICO

Nos dias atuais, a idéia de um tesouro escondido parece algo irreal, fantasioso, coisa de filme de Hollywood. Mas em um passado muito longínquo, esta era uma situação corriqueira.

No mundo antigo era muito comum as pessoas esconderem seus bens, muitas vezes enterrando-os. Isto era feito como prevenção a ações de ladrões e malfeitores. Fazia-se, também, por causa de vizinhos avarentos e familiares ambiciosos. Muitos escondiam seus tesouros até para se certificarem que não iriam perdê-lo.

Era costume, então, enterrar os seus bens valiosos em um terreno de sua propriedade, perto de uma rocha ou uma árvore, que funcionava com um lembrete do lugar do depósito. Entretanto, era comum também, que somente a pessoa que enterrava o tesouro soubesse do local do seu depósito. Funcionava mais ou menos como os bancos de hoje, onde lá depositamos “nossos tesouros”, de uma maneira oculta. Não conheço ninguém que ande com seu extrato bancário pendurado em um crachá.

Acontece que se esta pessoa morresse de maneira repentina, sem avisar a ninguém sobre o tesouro enterrado, ele (o tesouro) tornava-se oculto, escondido. Como dissemos, esta era uma prática muito comum, e conseqüentemente haviam muitos tesouros que eram perdidos. Vale ressaltar que nos tempos bíblicos não era diferente. Veja Jr 41.8.

É neste contexto que surge a idéia de tesouros escondidos. Todos sonhavam em achar um destes perdidos por aí. As leis judaicas regiam que se você comprasse uma terra, e nela encontrasse um tesouro enterrado, ele automaticamente era seu. O antigo dono não tinha nenhum direito de reclamá-lo. Podemos dizer que encontrar um tesouro era uma verdadeira obsessão naquele dias.

3. TESOUROS ESCONDIDOS NA BÍBLIA

Existem quatro textos que falam de tesouros escondidos na Bíblia, de uma maneira direta. São eles: Is 45.3, Mt 13.44, Pv 2.4 e Cl 2.2-3. O que vamos destacar neste estudo é que cada um destes textos fala de um tesouro diferente. Apenas um deles fala de um tesouro físico, material. E no final, poderemos mostrar que um destes tesouros é o mais importante. Então vejamos:

a. Isaías 45.3dar-te-ei os tesouros escondidos e as riquezas encobertas, para que saibas que eu sou o Senhor, o Deus de Israel, que te chama pelo teu nome”

Este é o único texto da Bíblia toda que traz o termo “tesouro escondido / oculto” investido de um caráter material. De fato, aqui Deus promete um tesouro físico. Entretanto, o engano, muitas vezes, está na interpretação do texto. Como já vimos acima, muitos pregadores usam este versículo para dizer aos seus fiéis ouvintes que Deus tem prometido para cada um deles um tesouro escondido. Isto é um grande engano, e se dá pelo fato de uma interpretação isolada do versículos. Temos que ter em mente, sempre, que um versículo faz parte de um contexto. Deus agiu na história e através de homens, por isso devemos levar isso em consideração na hora de compreender um texto bíblico.

O complicado é que muitas vezes, no afã de legitimar em pensamento puramente humano, pela Palavra de Deus, estas pessoas acabam tirando o texto do contexto, e acabam arrumando um pretexto para dizer o que não diz o texto! No caso de Is 45.3 uma simples leitura de alguns versículos anteriores e posteriores já resolve o problema. Vamos ver:

“1 Assim diz o Senhor ao seu ungido, a Ciro, a quem tomo pela mão direita, para abater as nações ante a sua face, e para descingir os lombos dos reis, e para abrir diante dele as portas, que não se fecharão. 2 Eu irei adiante de ti, endireitarei os caminhos tortuosos, quebrarei as portas de bronze e despedaçarei as trancas de ferro; 3 dar-te-ei os tesouros escondidos e as riquezas encobertas, para que saibas que eu sou o Senhor, o Deus de Israel, que te chama pelo teu nome. 4 Por amor do meu servo Jacó e de Israel, meu escolhido, eu te chamei pelo teu nome e te pus o sobrenome, ainda que não me conheces. 5 Eu sou o Senhor, e não há outro; além de mim não há Deus; eu te cingirei, ainda que não me conheces. 6 Para que se saiba, até ao nascente do sol e até ao poente, que além de mim não há outro; eu sou o Senhor, e não há outro. 7 Eu formo a luz e crio as trevas; faço a paz e crio o mal; eu, o Senhor, faço todas estas coisas.”

Analisando este pequeno texto podemos observar que este tesouro prometido por Deus teve um endereço certo. Ele foi prometido para o rei Ciro da Persia. Ciro foi o fundador do império Persa. Foi ele quem permitiu que os judeus voltassem do cativeiro babilônico (2Cr 36.22-23). Os tesouros eram apenas uma parte da promessa que Deus dava a Ciro. Nos três primeiros versículos são prometidos, além do tesouro, poderio militar e estratégico. Ou seja, a promessa de tesouros escondidos não estava isolada. Ela dependia das promessas anteriores. Por último, temos o propósito de tal promessa. Ciro não era judeu, mas foi ungido por Deus para a tarefa de libertação do povo. Se não era judeu, não conhecia a Deus (v.4 e 5). O cumprimento destas promessas está totalmente relacionado à apresentação de Deus, para Ciro, como o Deus único, todo poderoso e Senhor (ver os grifos).

Podemos ver facilmente que esta promessa de Deus tinha uma finalidade direcionada na história. Por tanto, é um erro grotesco afirmar que esta promessa está relacionada aos crentes de hoje. Devemos salientar que Deus, na sua eterna soberania, pode lhe conceder um tesouro escondido. No entanto, Deus o concederá se for da Sua vontade, de uma maneira especial, segundo Seus propósitos e não mediante de obra ou merecimento humano. Em hipótese alguma este texto traz uma obrigação de Deus para conosco.

b. Mateus 13.44 ­– 44 O reino dos céus é semelhante a um tesouro oculto no campo, o qual certo homem, tendo-o achado, escondeu. E, transbordante de alegria, vai, vende tudo o que tem e compra aquele campo”

Este versículo é, certamente, o mais complexo quando o assunto é tesouro escondido/oculto. Nele nós temos duas nuances de ensino, mas as duas se tornando uma em relação ao reino dos céus.

A primeira, de uma maneira geral, trata da importância e do comportamento esperado daquele que encontra o reino. Ele sugere o alto valor que o reino tem que ter na vida de quem foi alcançado pela Palavra. Para adentrar ao reino dos céus, o primeiro passo é reconhecer a seu grande valor. Está totalmente relacionado à obra de salvação que Deus realiza através do sangue de Jesus. Por fim, a parábola chama a atenção para a nossa abnegação em favor do reino. Uma vida com Jesus requer que nós deixemos tudo o que antes nos era precioso, a fim de recebermos de Deus um tesouro muito maior, a salvação das nossas almas em Cristo (Lc 9.23).

A segunda nuance já é um pouco mais específica. Sabemos que o Evangelho de Mateus foi escrita para os judeus. Esta parábola aparece somente neste evangelho. Muitos estudiosos acreditam que Jesus estava falando nesta parábola sobre a sua relação com a nação de Israel. A nação que é um tesouro para Deus, já que é o povo escolhido, e que esta obscura. Jesus entrega a sua vida, seu sangue (o que tem de mais precioso mediante ao seu ministério) para comprar as terras (o mundo todo) para descobrimento e redenção do tesouro oculto (Israel). Tal descobrimento ocorreria na sua volta triunfal.

Mas em suma, o tesouro tratado neste versículo diz respeito à salvação (entrada no reino dos céus), tanto para gentios como para judeus.

c. Colossenses 2.2-32 para que o coração deles seja confortado e vinculado juntamente em amor, e eles tenham toda a riqueza da forte convicção do entendimento, para compreenderem plenamente o mistério de Deus, Cristo, 3 em quem todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento estão ocultos”

As cartas de Paulo são excelentes para confrontarmos com a igreja dos nossos dias. Isto porque ele explicita as características e comportamento de cada igreja, permitindo a nós fazermos um paralelo entre o tempo apostólico e os atuais, usando como base estes padrões.

No versículo 8 temos uma das razões da carta de Paulo aos Colossenses.

8 Cuidado que ninguém vos venha a enredar com sua filosofia e vãs sutilezas, conforme a tradição dos homens, conforme os rudimentos do mundo e não segundo Cristo”

Nesta passagem Paulo chama a atenção para um grande risco que os crentes de Colossos estavam correndo. Eles estavam preferindo o conhecimentos que provinham de homens em detrimento do conhecimento de Deus, na pessoa de Cristo.

Os colossenses estavam diante de alguma heresia em relação a mistérios de Deus. Paulo os exorta para encararem tal heresia como uma luta (Cl 2.1). Analisar esta palavra “luta” é fundamental para entendermos os próximos versículos. O termo usado no original é agon () e seu significado é atrelado às lutas de atletas. Paulo quer dizer com isso, que esta batalha não tem o significado como luta comum, mas uma luta, que se vencida, trará recompensas. Esta recompensa é compreender os mistérios de Deus, que são aqui descritos como tesouros ocultos na pessoa de Jesus. Estes tesouros são a sabedoria que provem da vida plena em Jesus. Neste ponto partimos para o último e mais importante texto acerca de tesouros escondidos / ocultos.

d. Provérbios 2.4-64 se buscares a sabedoria como a prata e como a tesouros escondidos a procurares,5 então, entenderás o temor do Senhor  e acharás o conhecimento de Deus. 6 Porque o Senhor dá a sabedoria, e da sua boca vem a inteligência e o entendimento.”

Vamos direto ao ponto. Se você acha que Deus tem um tesouro escondido para você, quero lhe dizer que você está totalmente certo. Se você vem buscando este tesouro incessantemente, tenho a alegria de dizer que a partir deste momento você já o encontrou. O grande tesouro que Deus tem para nos dar a sabedoria que vêm dele. Esta sabedoria tem um princípio, e ele está explicito em Pv 1.7:

O temor do Senhor é o princípio do saber,

mas os loucos desprezam a sabedoria e o ensino”

O temor ao Senhor é o ponto de partida para o conhecimento de Deus através da sua revelação. Não há a possibilidade de alcançarmos tal tesouro se de fato nossos corações não forem tementes a Deus. Muitas vezes o que vemos são pessoas buscando o tesouro através de conhecimentos e capacidades humanas. É necessário entender que no Senhor está todo o entendimento da verdade. A verdade é Deus. Por isso que qualquer esforço humano para tal busca, que não envolva Deus, será em vão.

A sabedoria que provem de Deus é algo plenamente concedido ao ser humano. Um grande exemplo bíblico está em Salomão. O Senhor aparece para ele e diz que poderia pedir o que quisesse. Salomão pede sabedoria a Deus (1Rs 3.3-15 e 2Cr1.2-13). Basta que você deseje ter esta sabedoria e pedir. Isto é algo garantido pela Palavra de Deus. Veja o texto de Tg1.5-6:

5 Se, porém, algum de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e nada lhes impropera; e ser-lhe-á concedida. 6 Peça-a, porém, com fé, em nada duvidando; pois o que duvida é semelhante à onda do mar, impelida e agitada pelo vento”

Por mais que as pessoas busquem riquezas, bem matérias e entendam que isto são tesouros que Deus tem escondido para pessoas de muita fé, é preciso compreender que a sabedoria é algo incomparavelmente melhor e maior do que qualquer coisa que um pessoa possa possuir (Pv3.15).

Deus tem separado grandes tesouros para a Igreja. Tesouros celestiais e espirituais. A busca de tesouros terrenos, baseados em interpretações errôneas, é algo que vai totalmente contra aos propósitos de Deus revelado nas Escrituras. Jesus foi muito enfático em dizer que o seu reino não é deste mundo (Jo 18.36) e que não devemos ser ricos para os olhos dos homens, mas sim para os olhos de Deus (Lc 13.21).

Sem sombra de dúvidas, podemos reafirmar que o tesouro que Deus tem escondido para você é a sabedoria que vem Dele, através do conhecimento da sua Palavra. Maior tesouro que este não há.

4. CONCLUSÃO

Para concluir, gostaria de fazer um desabafo. Eu não entendo porque o ser humano tendo algo tão precioso da parte de Deus, como é o caso da salvação em Jesus, insiste em questões pequenas e mundanas, como dinheiro, riquezas, prosperidade e etc.

Creio que a Palavra de Deus nos direciona no sentido de sempre “buscar as coisas lá do alto” (Cl 3.1). Uma exemplificação simplória: – A palavra “tesouro escondido/oculto” aparecem apenas 6 vezes na Bíblia. Já a palavra “salvação” (em Deus e Cristo) aparece 149 vezes. Não tenho receio em dizer que Deus quer que preguemos muito mais sobre o arrependimento de pecados, conversão e salvação do que questões monetárias.

Mas uma pergunta deve ser respondida antes de terminarmos. Por que, afinal, existem pessoas que insistem em buscar tesouros terrenos, deturpando a Palavra de Deus? A resposta, claro, está na Bíblia. 2Tm 4.3-4 diz assim:

“3 Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; 4 e se recusarão a dar ouvidos à verdade entregando-se às fábulas”

Resposta mais clara não existe! Alguns homens (mesmo de dentro da Igreja) não suportam as verdades de Deus. Esta verdade vai contra o desejo dos seus corações corrompidos pelo pecado que pedem riqueza, luxo e prazeres deste mundo. Para isso constroem heresias usando interpretações equivocadas, para não dizer demoníacas, da Palavra de Deus. É preciso entender que o diabo é o maior interessado que pessoas se percam, que sejam condenadas ao sofrimento eterno. Que melhor maneira em conseguir este objetivo, senão por desviar as pessoas usando a própria Palavra de Deus. Sejamos claros, Jesus quer salvar a sua alma e não te deixar rico!

Que nós de fato entendamos que se existe um tesouro a ser buscado, ele é a sabedoria de Deus. Se assim procedermos, Deus será generoso e misericordioso para suprir todo o resto. Essa é a nossa fé, mediante a palavra de Jesus:

“buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas”

Mt 6.33

Deus o abençoe.

Sugestão de textos para leitura: Mt 13.44-52; Is 45.1-7; Pv 2 e 3; Dt 8.13-14; Sl 62; Pv 28.20; 1Tm 6.9.

P.s.: Você pode baixar este texto no Scribd. Clique aqui.

FICHA TÉCNICA

1. Bíblia de Estudo Genebra

2. Bíblia de Estudo Thompson

3. Bíblia NVI

4. Bíblia de Estudo Almeida Atualizada

5. Dicionário Bíblico Almeida

6. Comentário Bíblico Foco e Desenvolvimento (Antigo e Novo Testamento) – autor: Carlos Oswaldo C. Pinto – Ed Hagnos

7. Comentário Bíblico Moody – Vol. 4 e 5 – Ed IBR

8. Tesouros Escondidos – Autor: David J. Merkh – Ed Eclésia

9. Tesouros Escondidos no Texto Bíblico – Autor: Chuck Missler

10. Texto Um Tesouro Escondido – autora: Silvia Helena de Amo – em http://www.scribd.com/doc/507265/UM-TESOURO-ESCONDIDO


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 pensamentos em “Em busca dos tesouros escondidos de Deus

  • WILLIAM MAZZA

    Gostei do artigo. Fico feliz ao perceber que está se encontrando na Batista do Ipiranga.
    Um abraço, e fique com Deus.
    Do amigo distante, mas que sempre lembra de você.

  • Eva Maria

    Que Deus continue te usando para disseminar a Sua palavra.
    Deus abençoe grandemente você e sua família!!
    Abraços