Parte da Muralha de Salomão encontrada 2


0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

por Nahum Sirotsky

Arqueólogos da Universidade Hebraica de Jerusalém desencavaram parte de uma muralha que eles afirmam ser de dez séculos antes de Cristo e que teria sido construída por ordem do Rei Salomão. A muralha tem seis metros de altura e a secção escavada se estende por setenta metros.

Eilat Mazar, o arqueólogo responsável, declara com certeza que a construção é da época do chamado rei sábio. Ele diz que, de acordo com a Bíblia, Salomão construiu o Primeiro Templo que acabou destruído por Nabucodonozor, que reinou na  Babilônia no ano de 586 antes de Cristo.

O arqueólogo judeu diz que a construção corrobora documento escrito de projetos realizados pelo rei, filho de Davi, cuja vida consta de inesquecíveis mitos.

O lado da Jerusalém antiga, diante da Porta dos Leões, uma das várias portas de entrada da cidade velha que eram fechadas à noite como segurança ou quando atacavam a cidade. Foi por esta porta que entrei na cidade na batalha de Jerusalém de 1967, como jornalista. Os legionários jordanianos nela ainda defendiam posições. A ânsia de chegar ao Muro das Lamentações foi mais forte que o medo da pontaria dos soldados jordanianos. Cheguei ao muro ficava apertado em estreita rua coberta de sacos de lixo. Havia a tradição de ser o último muro que sobrara da destruição do Templo de Herodes, o segundo templo. Estava em pé, pois velha tradição dizia ter sido construído com doações dos mais pobres sendo sagrado e protegido de Deus. Do lado oposto ficava uma modesta vila árabe que veio ser identificada como a cidade de Davi, onde são diários os encontros de resíduos arqueológicos da antiguidade remota. Pelo que deu para compreender, o muro foi encontrado próximo da atual muralha que cerca a cidade.  Dentro dela estão o Muro das Lamentações dos judeus, colado à colina do templo onde os árabes construíram a mesquita de Al Aksa, o terceiro lugar mais sagrado do Islã, que marca o local que, de acordo da tradição, Maomé ascendeu a Deus de quem começou a receber a revelação do Corão, o Livro Sagrado de sua religião.

Há quem insista que no bojo da colina estão enterrados os objetos mais sagrados do Templo. Mas não se pode confirmar por proibição muçulmana. Escavar na área de Al Aksa é proibido, pois poderiam mudar a historia.

Escavações revelariam parte de outras muralhas. Foram encontrados gigantescos vasos, uma cerâmica onde se lê em hebraico “Para o Rei”.

Se os arqueólogos fossem autorizados, outras coisas surpreendentes apareceriam.

Fonte: Último Segundo


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 pensamentos em “Parte da Muralha de Salomão encontrada