O servo de Deus que não busca interesses pessoais.


0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Quem tem um pouco de convívio em igrejas, principalmente nas esferas de liderança, sabe que crente gosta muito de cargo na igreja. Seja qualquer um, o importante é se destacar. Vamos ser sinceros, nós procuramos cargos e destaque na igreja como se isso fosse ouro. Um ouro de tolo, porque a essência da vida cristã não está em ter os melhores postos na sua denominação.

Eu entendo que existam vários motivos para esta batalha que travamos constantemente. Entre eles estão a oportunidade de servir ao Reino, retribuir a Deus um pouco do que o Senhor operou em nós, e outras coisas pensando positivamente. Do lado negativo, está muitas vezes a sede de poder, o desejo de manter certos níveis de segurança, de buscar na igreja um status não alcançado na vida profissional e etc. No entanto, um dos que mais me incomodam, é o de ver a possibilidade de usar “a máquina” eclesiástica em favor de si mesmo e dos mais chegados. Cansei de ver situações, por exemplo, que um pedido feito dentro da igreja era atendido ou não, dependendo de quem pedisse. Infelizmente, isto é um triste fato.

Temos que assumir que atualmente muitos líderes são entorpecidos pelo poder que a Palavra de Deus e a Igreja têm. Costumo dizer que a Palavra (e seu poder) assemelha-se a um remédio: – A maneira que você usa vai determinar se ela lhe fará bem ou mal. Isso mesmo, a Palavra de Deus, se usada com má intenção faz mal. Lembre-se que as maiores heresias tem “base” bíblica.  Existe até um chavão que diz que “a Bíblia é a mãe de quase todas as heresias”.

A verdade é que nós estamos perdendo a essência do nosso papel na relação com Deus. Nós não somos, neste mundo, nada mais do que humildes servos do Senhor. E uma das maiores virtudes que um servo de Deus pode ter é o de servir sem procurar atender interesses pessoais. Este é um conceito que vêm se desgastando, e para revertermos esta tendência precisamos voltar nossos olhos e mentes, com urgência, para as Escrituras.

No meu humilde ponto de vista, um dos maiores exemplos bíblicos neste sentido é o apóstolo Paulo. Em 2Ts 3.8-9, ele discorre sobre a relação servir o Reino versus se aproveitar dele. Paulo diz que trabalhou arduamente para que não desse despesa para a igreja. Não que ele não tivesse direito, pois ele mesmo diz que “o trabalhador é digno do seu salário – 1Tm 5.18”. Ele, certamente, foi uma das pessoas mais influentes na Igreja do seu tempo, e nem por isso usou algo para benefício próprio. A grande intenção de Paulo era colocar-se como exemplo de abnegação para os crentes e mostrar que Deus espera uma entrega total dos que são seus.

O Senhor espera que o sirvamos com especial zelo, principalmente se tivermos responsabilidades de ministério. Um texto muito interessante, neste sentido é o de 1Pe 5.2-3:

2 pastoreai o rebanho de Deus  que há entre vós,  não por constrangimento, mas espontaneamente, como Deus quer; nem por sórdida ganância, mas de boa vontade; 3 nem como dominadores dos que vos foram confiados, antes, tornando-vos modelos do rebanho.

Veja que o autor chama atenção para algumas coisas no que tange o servir do cristão. Aqui vai uma listinha básica:

1.       Sirva respondendo seu chamado e com alegria. Não sirva por que você pensa que este ou aquele ministério é importante, que proporciona reconhecimento no meio do arraial. E pior, não sirva na Igreja para agradar alguém, a não ser o Senhor.

2.       Não sirva se você tiver em mente tirar algum proveito do cargo que você ocupa. Atualmente, muitas pessoas tornam-se ricas à custa do Evangelho. Deus não odeia os ricos, mas também creio que não é isso que ele espera da liderança da sua Igreja. Veja, por exemplo, a vida que os apóstolos levaram.

3.       Não seja um tirano, que cerceia a vida dos seus liderados sem respaldo bíblico consistente. Proporcione entendimento e não terrorismo.

4.       Por último, use a maior ferramenta pessoal que o Senhor nos deu, o exemplo. Seja um bom exemplo quando servir a Deus.

Tudo o que conversamos é necessário para que o Supremo Pastor, Jesus Cristo, na sua volta triunfante, nos encontre fiéis e dignos de receber a coroa indestrutível de glória (1Pe 5.4). Que o Senhor Jesus seja o nosso alicerce no servir a Sua Igreja.

Deus abençoe.

Fabio Marchiori Machado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *