O Perigo Espiritual em Endividar-se 12


0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Uma boa parcela das pessoas que vão assistir o curso Encontrando Liberdade Financeira é composta por endividados. Entretanto, vez ou outra, deparo-me com situações periclitantes. Nunca vou esquecer-me de um senhor de meia idade que perdeu tudo o que tinha construído em mais de 30 anos de trabalho, e em pouco tempo, porque se deixou deslumbrar pelas maravilhas do consumo e dos seus atrativos parcelamentos. Do “tudo” que ele relatou, porém, o que mais me impressionou foi quando ele disse que tinha chegado ao ponto de questionar sua fé, Deus e até mesmo se ele era digno de salvação do sua alma!

R. Alcorn, no seu livro Money, Possessions e Eternity (Dinheiro, Posses e Eternidade), diz que “a dívida é a forca, Satanás a corda”. Mediante ao que tenho visto por aí, posso dizer que as execuções estão acontecendo a todo o tempo.

Eu entendo plenamente que financiamentos fazem parte da vida moderna. Eu mesmo tenho um carro que pago prestação. Meus apontamento, no entanto, são para pessoas que se tornaram, ou estão em via de tornar-se “devedores crônicos”. Se você é este tipo de pessoa, gostaria chamar-lhe a atenção para 3 perigos espirituais e, é claro, que encontra-se baseada na Bíblia.

  1. 1. Gastar por conta do que você não tem em mãos – Em Tg 4.14 temos o texto que diz: ” Vós não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida?  Sois, apenas, como neblina que aparece por instante e logo se dissipa”. Quem pode garantir qual será seu futuro? Ninguém!! E por que comprometemos às vezes 5, 6 ou até 7 anos da nossa vida para, por exemplo, comprar um carro último modelo, que muitas vezes não conseguimos nem pagar a prestação sem atrasar os impostos. Conheço caso de pessoas que ganham R$ 1 mil e que tem um carro financiado em 72 parcelas de R$ 500. Óbvio que IPVA, licenciamento, seguro e etc. ficam para depois, ou para nunca! Isso ocorre porque, atualmente, basta querermos comprar algo e só. O que as propagandas dizem é que não há a menor necessidade de nos preocuparmos se temos condição ou não. “Compre hoje o comece a pagar só em…”, não entre nessa, viva com que Deus deu na sua mão.
  2. Tirar de Deus a oportunidade de lhe ensinar – Leia Lc 12.22-31. Muitas vezes fazemos uma dívida para ter algo que não veio naturalmente. Tipo “forçamos a barra”, ou até mesmo não confiamos que Deus possa prover “tal coisa” no tempo que queremos. Nisto falhamos porque deixamos de aprender sobre o amor e a provisão de Deus. Creio que muitas vezes Deus queira nos dar algo de maneira maravilhosa e nós abrimos mão de ver Deus agindo na nossa vida abreviando tudo com o “poder” do cartão de crédito. Outra maneira que deixamos de aprender é através da negação que vem de Deus. Eu não entendo que devemos ter tudo que desejamos. Sinceramente, tenho pena dos que usam o versículo de Fp 4.13 (Tudo posso naquele que me fortalece), para dizer que crente tem que ter tudo do bom e do melhor. Paulo fala, neste versículo, do poder da superação do sofrimento, mas isso é assunto para outro artigo. Se você é pai ou mãe sabe que não pode falar sim para tudo o que seu filho pede, pois certamente acabaria estragando o caráter e a personalidade do seu filho. Na nossa relação com Deus, nosso Pai celestial, é a mesma coisa. O Senhor sabe o que é bom e o que não é para nós!
  3.  Promover inveja e ganância – Por mais absurdo que isso possa parecer, inveja e ganância é algo que existe também dentro da igreja, e talvez, sem saber, podemos estar colaborando para alimentá-los com nossos hábitos extravagantes de consumo. Ou pior, podemos estar sendo estimulados por eles! Pense, quantas vezes você não comprou algo para se sentir bem no meio de um grupo? Certa vez conheci uma igreja que quando um membro trocava de carro, muitos iam e trocavam também, como um efeito dominó. Só que algumas destas pessoas, perdoem-me a expressão, mal tinham onde cair morto. Solução? Prestação e mais prestação! Tudo para não ficar de fora do “movimento”. Em Lc 12.15 temos uma lição importante: ” Então, lhes recomendou: Tende cuidado e guardai-vos de toda e qualquer avareza; porque a vida de um homem não consiste na  abundância dos bens que ele possui.” Você é para Deus o que está no seu coração e na sua alma, não o que está na sua garagem ou no seu armário. Não faça dívida por causa disso!

O grande segredo é nos livrarmos do consumismo. Todos nós devemos lutar com ímpeto para refrear nosso instinto de consumo exagerado, pois ele é um dos grandes males destes tempos. Acredito que se conseguírmos buscar mais as coisas do Reino, e estar focado em Jesus, teremos uma vida de paz, tranquilidade, sem desespero por causa de dívidas, e mais, desfrutando de tudo aquilo que aprouver a Deus nos conceder, como diz o versículo:

” buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça,  e todas estas coisas vos serão acrescentadas. ” (Mateus 6:33)

 

Deus o abençoe.

 

Fabio Marchiori Machado.

 

 


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 pensamentos em “O Perigo Espiritual em Endividar-se

  • Noh Olive

    Parabéns Fabio!!!
    Precisamos mesmo de tudo que compramos?! Essa foi uma pergunta que eu mesma me fiz há muito tempo atrás. Eu trabalhava para pagar o que tinha comprado no mês anterior e a coisa quase me engole! Percebi que se acontecesse algo de emergencial comigo, eu não teria condições financeiras de resolver. Enfim, disciplinei meus gastos!
    Deus abençoe!
    P.S.: Isso deveria ser ensinado nos pulpitos! #prontofalei rs

    • Fabio Marchiori Autor do post

      Olá Noh,

      Fico feliz em ler seu testemunho. Também penso que isso deveria estar nos púlpitos. Confesso que toda vez que tenho oportunidade de pregar, este assunto e a Cruz de Cristo sempre estão presentes.

      Deus a abençoe.

      Fabio Marchiori.

  • junior

    demorei um pouco para aprender isso, mas garanto que minha vida mudou muito graças a Deus. A tranquilidade de não ter dívida é maravilhosa, poder experimentar as coisas boas que a vida nos proporciona é bom e o melhor de tudo não atrapalha o nosso relacionamento com Deus ao contrário, nos da paz e a oportunidade de ajudar financeiramente na obra de Deus.

    • Fabio Marchiori Autor do post

      Olá Jr,

      Obrigado novamente. Suas participações no BereiaBlog são muito ricas.

      Estou ficando muito feliz com os testemunhos nestes posts sobre dívida. Creio que todos nós deveríamos externar mais isso, conversar com os irmãos sobre o o assunto. Certamente, vamos abençoar muitos!!!

      Em Cristo,

      Fabio Marchiori Machado.

  • revelgian

    DEUS nos deu o direito de ter o melhor da terra e isso é bom, somos um povo abençoado porque tudo que recebemos de DEUS deve ser muito bem administrado e o mundo se incomoda por isto, devemos nos policiar quando ao poder de compra isso faz bem para o corpo, alma e espirito, antes de colocar-mos o desejo no coraçao de adquirir algo material devemos nos transformar em um matemático sem nem mesmo termos oportunidade de nos formar , verificamos o valor da compra, dividimos por mil e procuramos chegar a um valor equiparado a 40% do valor a ser adquirido e equiparemos a nosso salario, o restante dividimos por 100 se vc conseguir chegar a um calculo aproximado de 60% do seu ganho é esse o valor que vc deve estar dispondo para as compras o restante é para os planos futuros ate a vinda de jesus, as crianças agradecem porque tem passaporte garantido para a pizza e a batata frita todo mes e o muito mais importante vc se transformará num dizimista abençoado e ofertante abençoador……….fiquem na paz…………

    • Fabio Marchiori Autor do post

      Olá Revel, como sempre com as respostas mais inusitadas!! Deus continue o abençoando e nos dando a alegria da sua participação.

      Abraço,

      Fabio Marchiori.

  • Lysias Silva

    Olá Fábio!

    Primeiramente, obrigado pelo artigo e parabéns pelo trabalho!

    Gostaria só de humildemente pontuar um risco que pode acometer alguns leitores ao lerem o versículo que você usou pare fechar a matéria. Você usou Mateus 6:33.
    Como no seu artigo você fala de consumismo de forma geral, e usa alguns exemplos sobre pessoas que adquiriram carros e outros tipos de bens, só acho que ao fechar com este versículo (fora do seu contexto), possa passar a impressão que se buscarmos a Deus em primeiro lugar, todas estas coisas (mencionadas no artigo) nos serão acrescentadas. O versículo bem diz… “todas ESTAS coisas…”, que no caso do contexto de Mateus 6 está se referindo àquelas coisas BÁSICAS que são necessárias e fundamentais para nossa subsistência (Ex. comida, roupa, um teto). Basta ler todo o capítulo 6. Sei que esta não foi sua intenção, mas como alguém mais desavisado pode entender este versículo da maneira errada, achei melhor pontuar isto.
    Abraços
    Lysias

    • Fabio Marchiori Autor do post

      Lysias,

      Muito obrigado por sua excelente contribuição. Este é um dos versículos bases do Encontrando Liberdade Financeira, e às vezes cometemos o erro de deixar passar detalhes importantes quando usam os muito um versículo. Sua interpretação foi perfeita. Mais uma vez obrigado por dispor do seu tempo para nos ajudar.

      Deus o abençoe.

      Fabio Marchiori. Machado.

  • Marcos Merg

    Olá. Benção!

    Lembrei de texto que está em Filipense que diz que “o nosso Deus há de suprir cada uma de nosso necessidades em Crito Jesus”.
    Se estou pensando em comprar algo vem o primeiro ponto…realmente é necessidade?isto é necessário? Falo por mim muitas coisas eu precisaria ter, me facilitaria bastante, e as vezes tu olha e pensa e vê que realmente é licito, mas convém?
    Se o Senhor ainda não proveu é porque Ele sabe o que faz, e ser grato ao Senhor por tudo afinal aquele que nos deu seu próprio filho não nos dará graciosamente todas as coisas? abção. teus artigos me edificam!

    • Fabio Marchiori Autor do post

      Olá Marcos.

      Muito obrigado por suas palavras e participação.
      Vc está muito certo no seu tratar com a soberania e cuidados de Deus para nossa vida.

      Deus abençoe.

      Fabio Marchiori.

  • Leandro Serafim

    A parte do consumismo realmente deve ser deixada de lado, entretanto, quando citamos endividados, acho que não podemos deixar de lado as guinadas que Deus permite nas nossas vidas.
    Um exemplo real é o que estou passado, pela minha forma de trabalho, ganho o que produzo, porém da pascoa para cá houve uma redução em mais de 70% do meu trabalho, logo o que antes era sossegado passou a ser divida.
    Graças a Deus tínhamos uma reserva (que já acabou), tomei a liberdade de negociar algumas coisas (parcelas finais do carro e contas já quitadas) e posso contar com a família.
    Restando apenas as contas básicas e o mercado.
    O endividamento é realmente terrível, nessa fase não estou duvidando de Deus, mas não tem como não me lamentar da mudança. Mesmo sendo um vaso na mão do Oleiro, ser amassado dói!

    • Fabio Marchiori Autor do post

      Olá Leandro,

      Creio que a sua situação esteja na das dívidas realmente inevitáveis. Sou autônomo como vc, e sei das dificuldades. Já passei por algumas situações semelhantes. Pelo que vc descreveu, fez tudo certo, mas aprouve ao Senhor algo diferente.

      Que Deus o abençoe.

      Fabio Marchiori.